quarta-feira, 24 de abril de 2013

Outrora


Outrora
Betania Ferreira
Sem mais querer vieste ao tom do encontro
Encontro desencantado selou o véu de um a mor miúdo
Sem precedentes soltaste uma saudade frenética
E um sonho adormecido de gerações

Quem de nós geraste no sei presente?
Quem de nós criaste no seio da saudade?
Quem de nós fizeste crescer no ermo do tempo seu?

Passado e presente se misturam
Num futuro que já passou mas não é passado

O passado amplia distâncias
O presente ampara a saudade
O futuro de outrora se choca com o futuro de agora

 Não há o que temer
Mas também não há o que viver
Pois o viver ficou guardado no futuro
Que o tempo deixou no passado.


Quente


Quente
Betania Ferreira
O sol domina o céu de agora
Sua luz, seu calor
Colocam de joelhos todo o verde
Que se curva
No respeito ao seu poder e
Dá-lhe de presente a sua cor.

Mais rápido que o vento
O verde vira cinza, marrom, branco, nada.
Mas ao sol nada deve e
Nem ele sob o verde padece.

Na força do calor escaldante o sol consome a terra
Mas sucumbe às nuvens
Sem perceber ele mesmo chama a chuva
Que traz de volta o verde e o vigor da terra.

Depois da chuva o sol se abre
E brinca com o azul do céu e o branco das nuvens
De colorir a terra com seus verdes, e seus amarelos,
E seus azuis, e seus vermelhos e seus rosas.....

Mais quente que o calor do sol é
A beleza da vida
Gerada nas gotas de chuva,
O canto dos animais
O abraço das árvores no vento
O perfume das flores exalado

Mais quente que o calor do sol é
O amor capaz de gerar cada uma dessas coisas
Numa sequência incessante de viver.


Os desenhos do céu

Tantas imagens falam por si só!!!!!!!! O que nos dizem as nuvens que desenham histórias e traçam caminhos para nossa imagin...