"Independência ou morte?"

A educação no Brasil tem recebido recursos diversos. No entanto, o profissional que mantém essa instituição está cada vez mais marginalizado. O termo é duro, eu sei, mas reflete a realidade vivida por milhões de professores que doam seu sangue todos dias na sala de aula.
Os professores da esfera estadual estão com o pescoço na guilhotina. Os programas que o governo estadual traz para "melhorar" a educação,infelizmente contribuem para que a classe de professor seja banalizada, marginalizada. Vem um Mares não sei das quantas, trazendo um projeto, com um salário mensal para escrever as sentenças dos professores de nada menos que dezoito mil mensais. Pouco? Suficiente? E o salário do professor? É preciso tirar mais dos direitos adquiridos para garantir que o professor receba seus salários. É preciso reduzir regência, quebrar a carreira, ameaçar o professor, mas jamais ouvir esse profissional, saber de perto a sua realidade, a sua vivência, jamais para para perceber as reais dificuldades. De cima todos só vomitam leis e programas e jamais preparam o professor para trabalhar. 
O que fazer? Agradecer ao governo por ameaçar através de um programa mineiro, cuja realidade é totalmente diferente da nossa, demitir um funcionário caso ele seja reprovado na avaliação de alunos, diretores e do programa? Que critérios estariam em pauta para que essa avaliação fosse feita? Que justificativa plausível para que os professores aceitem ser retaliados dessa forma? Não há consistência nos parâmetros do programa. Compreendo e aceito que mudanças devem ocorrer, mas garantir essa mudança em detrimento  da garantia de o profissional perder a sua carreira não é lógico.
De certa forma todos estamos á mercê dos interesses de uma minoria que em nada se preocupa com a carreira do profissional do magistério. Uma coisa esquecida é que não somos escravos e não pretendemos nos deixar fazer. Somos operários de uma construção infinita, que fará jovens buscar seu futuro com base no que farão. Não podemos ser tratados com tanto desdém, falta de respeito e compromisso. 
Mas o que mais me deixa indignada é que professor é o único profissional que não merece aumento de salário e nem carreira digna. Até onde isso vai continuar?

Comentários

Anônimo disse…
É verdade, o professor já virou até piada no Zorra! Na verdade basta observar o edital de qual quer concurso publico, o menor salário para um profissional de nível superior é para o professor.
Sem um bom professor não há bons Médicos, juízes, promotores etc, mas, mas mas, mas, mas, mas, mas, ... !!!!!!!!!!!!!!!
Marcos

Postagens mais visitadas