Educação patrimonial

Patrimônio: o que é isso?

Qual a idéia que você tem do que seja patrimônio? De que forma esse conceito está incorporado em sua vida e em suas conexões diárias em sociedade?

Segundo os dicionários tradicionais da nossa língua, patrimônio significa herança paterna, bens de família, os bens materiais ou não de uma empresa ou família, riqueza: patrimônio cultural. Até ai, tais conceitos já estão plasmados em nossa cultura e em nosso modo de ver e pensar. Mas será que esse conceito não teria um significado bem mais amplo? Será que não nos esquecemos de avaliar o real significado dessa palavra?

Por motivos e questões bem materialistas, nos esquecemos de classificar como patrimônio a nossa natureza. Se focarmos nossa reflexão na origem de tudo para que pudéssemos criar e recriar todos os conceitos que temos par tudo o que usamos e utilizamos em nosso dia-a-dia, cabe dizer que deixamos de fora a natureza, pois esta é quem dá origem a tudo o que existe. Reclassificando a idéia de patrimônio é correto pensar e afirmar que se não sabemos preservar os bens naturais, certamente não saberemos valorar qualquer outro ser ou objeto que venha a ser julgado um bem. Dessa forma, o conceito de educação patrimonial parte da base de todas as coisas para que cada um entenda o valor individual de cada coisa de fora para dentro do conjunto de todas as coisas que existem na face de toda a terra e suas esferas sócio-culturais e econômicas.

Partindo desse princípio, pensou-se em criar um projeto de educação patrimonial visitando e registrando a base natural existente no nosso município, de modo a catalogar e registra em foto cada espécie característica da região e tentar reconstituir em forma de desenho as que já são extintas, numa tentativa de ensinar o valor que cada um desses seres tem para a preservação da vida e de todos os outros elementos de todas as culturas existentes em nosso meio.

A idéia geral é mostrar que a matéria prima de tudo o que existe encontra-se em perigo de inexistir rapidamente. A consciência de que uma árvore, por exemplo, se crescida à beira de um tanque e cortada para servir de estaca para cerca e não replantada, pode, por exemplo, apressar a morte desse manancial de água, pois ficará mais vulnerável à evaporação, dentre outros problemas. Então, conhecer, compreender e preservar são os princípios básicos para o desenvolvimento desse projeto.

Nesse contexto, surge a idéia do patrimônio cultural como marco a ser preservado e registrado. Perguntas como: você lembra de alguma música de ninar? Ou mesmo, você sabe alguma cantiga folclórica do seu lugar? Pouco se sabe a respeito da cultura do nosso lugar que esteja vivo nomeio da nova juventude. Segundo muitos “essas coisas de folclore são coisas do tempo das nossas bisavós”. Assim, o povo vai perdendo a identidade, esquecendo as raízes, os costumes e por essas questões perpassam muitas reflexões que vão desde a cultural à religiosa. Muitos ensinamentos e discussões servem de pano de fundo desse cenário de vida de uma sociedade.

Muito precisa ser feito para que a população aprenda o que é consciência e o que preservação. É um trabalho minucioso e, por que não dizer, “de formiga”, mas ao mesmo tempo prazeroso e constante, no qual e pelo qual o resultado esperado e alcançado será percebido muito gradativamente e num futuro talvez distante. Mas todo esforço em prol dessa causa será recompensado.

Comentários

Postagens mais visitadas