Minha cara Luce

Luce,

Todos os dias amanhecem do mesmo jeito. A noite vai embora sorrateira, o sol assume o lugar iluminando o mundo, os galos cantam aqui , ali e acolá. As chaminés soltam fumaça no ar e desenham no céu com sua cor cinza, levando junto o cheiro do café e do cuscuz. Tudo muito trivial. Mas há algo de diferente no dia de hoje!
Sabe, Luce, não foi o orvalho que molhou a terra e nem o sol que fez levantar os cheiros do mato e da terra molhada. Foi a chuva!
A chuva caiu  e escorreu pelo campo, rabiscando um fio de esperança no coração do sertanejo labutador. A chuva trouxe o anúncio de uma vida mais preenchida, mais vivida, mais desenvolvida. Sei que o pensamento é também um tanto trivial. Eu sei. Mas também sei que, assim como "não entramos no mesmo rio duas vezes", também não acordamos igual cada dia da semana, embora a cada sete dias este dia se repita.
Creio que o mistério vindo da chuva é que produz o encanto de cada dia. O vento frio, a vida que brota da terra, o pão que devagar vai criando forma. Apenas acordamos milagrosamente depois de uma noite de sono, a vida não, ela jamais descansa e cada dia vem com uma surpresa diferente, para que jamais saibamos de fato seu segredo.
Mas como eu ia dizendo, Luce, cada cor  emanada da luz do sol é um verso de poesia criado pelo Criador de todas as coisas. Cada pingo de chuva, cada gota de orvalho são gotinhas de esperança para que saibamos todo dia que Deus está conosco.
Basta se deixar ver!!!!
Os cheiros são mais versos que ficam guardados de modo sinestésico em nossas mentes.
Isso é o que faz um cachorro te entender quando tu o chamas e lhe dá uma ordem. Isso é o que faz com que uma vaca te acompanhe se tiveres com uma palha de milho na mão e a oferecer-lhe. Isso é o que faz o vento soprar como sinfonia na cumieira da casa e arrematar na  biqueira que leva a água das chuvas ao tunel.
Mas nenhum lugar é igual ao nosso! Por mais sofisticado que seja, jamais terá o mesmo ranço,o mesmo som, o mesmo cheiro, o mesmo valor sentimental que o nosso cantinho. Mesmo com tempos bastante idos, ainda sentiremos cada um desses apelos que terão seu sustento na saudade.
Será a saudade, Luce, quem jamais permitirá que cada dia seja recebido como qualquer um, mas fará com que continuemos a ver as grandezas que fazem de cada dia um universo singular.

O que me diz, Luce?

Comentários

Postagens mais visitadas